Cora Coralina: poesía y coeducación en el centro de Brasil

Palabras clave: Anna Lins, Educación, Género, Brasil

Resumen

En el interior de Brasil, en una ciudad que fue el sitio de la colonización de Portugal en el período del ciclo de la minería del oro, una mujer con el nombre en clave Cora Coralina narra en prosa, versos y relatos la condición femenina en una sociedad patriarcal y oligárquica del siglo XX. . Así, el objetivo es analizar cómo la producción intelectual de esta mujer contribuyó a la coeducación de otras mujeres a principios del siglo XXI en un proyecto de calificación de la obra denominado Mujeres Coralinas. Al principio, se presenta la biografía del poeta; en un segundo momento se presenta la producción intelectual; luego una explicación del proyecto “Mulheres Coralinas” y finalmente cómo se desarrolló el proceso de coeducación. Al final, se puede ver que los escritos de Cora Coralina demuestran una condición moralizante impuesta por los habitantes de una ciudad, pero que también se utiliza como una forma de romper procesos patriarcales violentos y promover relaciones de autonomía financiera entre los participantes del proyecto.

Biografía del autor/a

Keides Batista Vicente, UEG

Universidade Estadual de Goiás, Goiânia, Brasil. Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Goiás na linha de pesquisa Estado, Políticas e História da Educação. Possui graduação em História - Licenciatura e Bacharelado pela Universidade Federal de Goiás - Campus Avançado de Catalão. Especialista em História do Brasil pela Universidade Federal de Goiás - Campus Avançado de Catalão. Mestrado em História Social pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora da Universidade Estadual de Goiás. Pesquisadora membro do projeto de extensão GEPHE FE/UFG (Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação). Correo electrónico: profkeidesueg@gmail.com. ID: https://orcid.org/0000-0003-4053-6136.

Ana Raquel Costa Dias, Secretaria Municipal de Educação de Goiânia, Brasil

Secretaria Municipal de Educação de Goiânia, Brasil. Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Goiás na linha de pesquisa Estado, Políticas e História da Educação. Possui Mestrado em Educação e Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás, especialização em História Cultural: imaginário, identidades e narrativas pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás e Neuropedagogia aplicada à Educação pela FABEC. Experiência como docente universitária e coordenadora pedagógica em instituição de ensino superior privada. Pesquisadora membro do projeto de extensão Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação.

Citas

Andrade, Carlos Drummond de (1980). Rio de Janeiro: Jornal do Brasil, Caderno B, 27.12.

Andrade, Ludmila Santos (2016). Poesia e Crônica em Cora Coralina [Dissertação de Mestrado]. Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, Universidade Federal de Goiás.

Britto, Célia Coutinho Seixo de (1979) A mulher, A História E Goiás. Araujo Livraria e Editora Cultura Goiana: Goiânia-Goiás.

Britto, Clovis Carvalho, e Seda, Rita Elisa (2009). Cora Coralina: raízes de Aninha. Aparecida, SP: Idéias & Letras.

Coralina, Cora (1965). Poemas do Becos de Goiás e Estórias Mais. São Paulo: Jose Olympio.

Coralina, Cora (1976). Meu livro de cordel. Poemas e crônicas. Goiânia. Disponível em: http://www.catedra.puc-rio.br/portal/p/?/33/799/comunicacao/falando_sobre_leitura/cora_coralina_conta_como_foi_sua_experiencia_com_os_livros_e_com_a_leitura./ (acesso: 21 nov. 2020).

Coralina, Cora (1985). Vintém de Cobre. Meias confissões de Aninha (3a. ed.). Ed. da Universidade Federal de Goiás.

Dias, Paula Pinho (2013) Representações textuais-discursivas na construção do mito de Cora Coralina [Tese de Doutorado]. Programa de Pós-Graduação em Língua Portuguesa da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.

Félix, Patrícia Abadia Pereira (2019). A mulher no discurso de Cora Coralina: uma análise do sistema de avaliatividade [Dissertação de Mestrado]. Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPGEL) da Universidade Federal de Goiás, Regional Catalão (UFG/RC).

IBGE, Censo Demográfico. Em http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485745/Mapa+do+analfabetismo+no+Brasil/a53ac9ee-c0c0-4727-b216-035c65c45e1b?version=1.3 (acesso: 20 jan. 2020).

Vicente, Keides Batista, e Dias, Ana Raquel Costa (2020). Como lembrar, esquecer e silenciar Cora Coralina? Memória feminina na cidade de Goiás. Leitura EM Revista, (16), 31.

Publicado
2021-01-20
Cómo citar
Batista Vicente, K., & Costa Dias, A. R. (2021). Cora Coralina: poesía y coeducación en el centro de Brasil. Anuario Mexicano De Historia De La Educación, 2(2), 95-109. https://doi.org/10.29351/amhe.v2i2.331